n w    w w w w

baner
Voce esta aqui:   Home Section Blog Finanças Perda de emprego, momento de usar o bom senso em relação às finanças.
large small default
Perda de emprego, momento de usar o bom senso em relação às finanças. PDF Imprimir E-mail
Sex, 26 de Junho de 2009 19:34

Tendo em vista um mercado caracterizado por competição cada vez mais acirrada e diretamente influenciado pelas reviravoltas econômicas faz-se cada vez mais presente o fantasma do desemprego, mesmo em países do primeiro mundo, até então considerados menos afetados.

Mas o que fazer quando esse fantasma se materializa em nossas vidas gerando frustração e insegurança?

Na China o ideograma de crise é formado por um símbolo de crise e outro de oportunidade o que significa que mesmo em situações adversas podemos tirar proveito e ensinamentos valiosos. Inicialmente não devemos nos desesperar pois, trata-se de um momento para reflexão, em que devemos rever nossas posturas e condutas e fazer um balanço sobre os acontecimentos que culminaram com a dispensa no trabalho e nossas aspirações para o futuro. É também o momento de retomar antigos projetos que ficaram engavetados, como por exemplo, empreender um negócio próprio.

Realizar o 5S em nossa casa organizando as coisas e descartando o que não é mais necessário e ficou guardado por pura falta de tempo para que nos desfizéssemos delas dá a sensação de renovação e controle da situação; ser mais participativo na vida familiar, nos eventos sociais e buscar apoio na rede de relacionamentos de forma a se manter em evidência e buscar equilíbrio nas relações.

Excelente oportunidade para realizar cursos de reciclagem como os de EaD, que se apresentam como uma alternativa moderna, eficaz e com preços atraentes em comparação aos cursos presenciais. Hora de refazer o currículo profissional incluindo informações relevantes sobre prazos superados, redução de custos promovida na empresa, vendas acima do esperado, novos projetos implantados, enfim, um portfólio com suas realizações, mencionando também a participação em eventos, palestras, cursos realizados e participação em atividades de responsabilidade social.

Em relação às finanças, aqueles que não têm um orçamento devidamente organizado devem fazê-lo imediatamente, realizando um levantamento de todas as despesas e buscando cortar ou restringir ao máximo àquelas consideradas como supérfluas; podemos, por exemplo, trancar a matricula na academia de ginástica particular e substituí-la pelo ginásio de esportes municipal que muitas vezes tem custo zero, bem como trocar os planos dos celulares pós pagos para pré pagos.   

Para os que estão muito endividados a regra de ouro é pagar primeiro as dividas com juros mais altos, refinanciar os débitos, abolir o uso de cheque especial e utilizar o cartão de crédito de forma absolutamente disciplinada não recorrendo a limites ou empréstimos.

É muito importante manter seu crédito em boas condições pois imprevistos acontecem a qualquer momento e precisamos ter garantias de estar preparados para enfrentá-los, daí a grande importância de manter uma poupança enquanto empregados para dar “um fôlego” nos momentos mais difíceis.

Em todo esse processo é muito importante envolver a família, fazer com que participe de todas as decisões e esclarecer que enquanto não surgir um novo emprego os gastos e despesas devem ser encarados da maneira mais séria, objetiva e racional possível, e que pequenos sacrifícios nesse período de transição entre um emprego e outro podem equivaler a mais tranqüilidade e segurança financeira enquanto buscar uma nova recolocação no mercado.