n w    w w w w

baner
Voce esta aqui:   Home Educação & Sociedade Ensino Superior Professor: um eterno aprendiz!
large small default
Professor: um eterno aprendiz! PDF Imprimir E-mail
Escrito por Dilermando Piva Jr   

Globalização é uma das palavras mais pronunciadas nos últimos anos. Outras palavras como avanços tecnológicos, qualidade, Internet, reengenharia não ficam atrás. Algumas pessoas dizem que umas são conseqüências de outras.
Nunca, em toda a história da humanidade, idéias, informações e produtos circularam com tanta velocidade.


Diante de um computador, qualquer indivíduo pode ter acesso ao mundo: desde museus, jornais, supermercados, até uma comunicação com amigos do outro lado do planeta. Tudo isto ao preço de uma ligação telefônica local.
Estes avanços colocam novos desafios e ameaças, mas ao mesmo tempo democratizam o saber e facilitam o processo individual.
O ensino colocado diante de todas estas mudanças pode ser comparado a um grande e velho dinossauro. As formas e técnicas de transmissão de conhecimento remontam de centenas de anos atrás.
Em contrapartida, nunca em toda a história, as mudanças aconteceram de forma tão rápida.
Com a chegada da Internet, nós professores, nos deparamos com novas possibilidades e incertezas no processo de ensino-aprendizagem. Com certeza, não podemos esperar de toda essa tecnologia (computadores, redes, etc.) a solução para modificar profundamente as relações pedagógicas, mas, sem dúvida, ela vai facilitar muito a pesquisa individual e grupal, o intercâmbio de informações e experiências, a simulação de ambientes reais, etc.
Tudo isso será excelente para aqueles professores atentos e abertos a novidades, os empreendedores. Mas será terrível para aqueles acomodados, que se acostumaram a dar aula sempre da mesma forma, aqueles que impõem um único ponto de vista. Esse professor, segundo o Prof. Prof. José Manuel Moran, "achará a Internet e toda esta tecnologia muito complicada; ele continuará limitado antes e depois da Internet, só que sua defasagem se tornará mais perceptível."
Quanto mais informação temos disponível, mais instigante e desafiador se torna o processo de ensino-aprendizagem. Ensinar não é apenas informar, mas sim orientar, estimular e relacionar o aluno a todo este mar de informações. Entretanto, só podem orientar aqueles que conhecem, aqueles que possuem uma base sólida da teoria e conseguem traçar com exatidão uma rota coerente, de toda essa teoria com a realidade em que vivem os alunos.
Para tanto, o professor deverá se atualizar sempre, vai precisar abrir-se para as informações, vai ter que se tornar um aprendiz permanente!